fbpx

A mineração é uma atividade que tem grande parcela de participação no desenvolvimento do país. É considerado um dos setores básicos da economia nacional, tendo uma representatividade de três a cinco por cento do Produto Interno Bruto. Além disso, o Brasil é detentor de grandes reservas de minérios essenciais para a vida moderna, como nióbio, minério de ferro, tantalita, manganês, entre outros.

 

Tanta atividade mineradora aqui presente, acaba promovendo elevados impactos socioambientais. Vale lembrar que essa atividade, junto à metalurgia, são reconhecidamente as mais danosas ao meio ambiente. Por esses e outros diversos motivos, o setor atravessa grandes desafios para minimizar esses impactos e tem como grande aliada a tecnologia para ajudá-lo a superar essas dificuldades.

 

Ainda, as tragédias recentes ocorridas em Mariana (MG) em 2015 e em Brumadinho (MG) em 2019 reforçaram a necessidade de novas alternativas que garantam mais segurança para a atividade mineradora e para as comunidades locais. Em um intervalo de apenas 4 anos ficou evidenciada, por duas vezes, a necessidade de inovação e redução dos impactos causados pela mineração.

 

Grande impacto ambiental decorrente da atividade mineradora em Canaã dos Carajás – PA

 

Atualmente o setor está vivendo um ciclo de investimentos em pesquisa e desenvolvimento para enfrentar os seguintes (principais!) desafios:

 

  • Minimizar o volume de material movimentado – a movimentação de grandes quantidades de materiais oferecem riscos aos trabalhadores da mina e também acabam afetando as comunidades locais. Algumas das consequências do excesso de material movimentado são: remoção de grandes parte da vegetação local podendo ocasionar em alteração do clima local, poluição dos recursos hídricos pelo produtos químicos utilizados na extração de minério, contaminação do solo,proliferação de processos erosivos, entre outros.

 

  • Reduzir o consumo de água – em 2016, 1,024 bilhão (1,6% da água do país) de litros d’água foram destinados para a atividade mineradora. A água é fundamental em várias etapas do processo de mineração, como no processo de lavra e de transporte através de minerodutos, entretanto, faz-se necessária a adoção de novas técnicas e investimentos para reduzir esse altíssimo consumo.

 

  • Minimizar os riscos decorrentes do processo de beneficiamento e da deposição de rejeitos – o processo de beneficiamento do minério gera uma grande quantidade de rejeitos e isso pode acabar trazendo uma série de riscos socioambientais, como contaminação do solo, de recursos hídricos e também de pessoas.

 

  •  Eliminação de barragens – um dos mais importantes desafios para a mineração sustentável. Barragens com deposição de rejeitos, ainda mais quando líquidos, oferecem um ENORME risco ambiental e para as comunidades locais. Os acontecimentos em Mariana e Brumadinho, ambos com esse processo de deposição, provam que essa é uma alternativa que deve ser urgentemente substituída. 

Barragem de rejeitos: processo de deposição de rejeitos grande impacto socioambiental

 

  • Processos de fechamento de mina e reabilitação de áreas degradadas – após o encerramento das atividades da mina, estudos devem ser realizados para que seja encontrada a melhor solução  para o fechamento da mina e para a reabilitação das áreas degradadas. Esse procedimento minimiza o impacto ambiental causado pela atividade.

 

  •  Melhorar a segurança – as tragédias recentes (2015 e 2019) escancararam uma defasagem com relação à segurança na atividade mineradora. A busca para garantir o bem estar e a integridade de todos que estão trabalhando na mina ou presentes em seus arredores deve ser incessante.

 

Frente aos desafios supracitados, o setor aposta em investimentos e tecnologias para cada vez mais mitigá-los e até mesmo evitá-los. Algumas alternativas já estão sendo testadas, como é o caso do uso de Big Data e impressão 3D que têm permitido uma redução expressiva do ciclo de desenvolvimento de novos produtos e também tecnologias como internet das coisas que vêm auxiliando na criação de sistemas e processos mais eficientes de produção.

 

Os exemplos dados têm como referência a Indústria 4.0 que é extremamente baseada em digitalização e interconectividade e é uma das grandes apostas do setor da mineração para superar as dificuldades apresentadas. Abaixo, listados alguns benefícios que essa 4ª Revolução Industrial pode proporcionar para essa indústria:

 

  •  Sensores e monitoramento com métodos de mensuração de dados a baixo custo;
  •  Análise de processos em tempo real e integração com tecnologias de controle;
  • Sistemas de controle e automação, com integração rápida entre os diversos mecanismos de produção e negócios;
  • Modelos de simulação;
  • Sistemas digitais para simulação e visualização 3D, capazes de permitir design de produto e definição de métodos de produção;
  •  Fluxo e integração de dados.

 

No Brasil, algumas mineradoras já estão adotando tecnologias da Indústria 4.0 e estão colhendo os primeiros resultados. Veja abaixo alguns casos de sucesso:

 

  1. Utilização de caminhões autônomos – caminhões sendo guiados por sistemas de computador, GPS, radares e inteligência artificial, se movimentando de forma eficiente entre a lavra e área de descarga. A utilização desse novo modelo de caminhão possui amplas vantagens se comparado com o modelo tradicional: maior produtividade, aumento da vida útil do equipamento, menor desgaste de peças e redução nos custos de manutenção. Além disso, há economia de combustível e consequentemente menor emissão de CO2; menos pessoas presentes nas atividades da lavra, diminuindo a exposição de empregados a riscos de acidentes

 

  1. Analytics e inteligência artificial – análise avançada de dados aliada à inteligência artificial que permitiram um aumento de 30% da vida útil dos pneus dos caminhões fora de estrada.

 

  1. Centro de Operações Integradas – estrutura com combinação de diversas funções da cadeia do minério, como planejamento, programação e controle, com o intuito de promover colaboração, eficiência e alinhamento estratégico. A partir dessa estrutura é possível ter uma visão integrada de todo o processo da mineração e a partir dele otimizar as tomadas de decisão.

 

  1. Uso de drones em pátio ferroviário – drones utilizados para mapeamento de vagões carregados com minério, com o objetivo de detectar excesso de umidade de carga. O uso de drones evita a exposição de empregados a riscos de acidentes, além de evitar manobras desnecessárias para os viradores, que podem gerar desperdícios e retrabalhos. Essa atividade que antes era executada por quatro empregados e durava cerca de 4 horas, passou a ser executada por apenas um (que é responsável pela operação do drone) e em cerca de apenas 5 minutos.

 

Um dos focos de mercado da Smart Sky é o atendimento ao setor de mineração. Com a nossa consultoria para implantação de setor de drones nas empresas aliada ao software de processamento de dados aéreos da 3DR, Site Scan, otimizamos os resultados das empresas e trazemos diversos benefícios para a cadeia produtiva. Além disso, estamos alinhados com a cultura da Indústria 4.0 e pretendemos criar uma transformação digital dentro de cada cliente nosso.

 

Você conhece algum outro desafio da mineração que não foi citado aqui? E sobre tecnologias sendo aplicadas nesse setor? Deixe algum comentário ou pergunta aqui embaixo.