fbpx

A busca por alternativas para a redução de custos está presente em empresas de todos os portes e todos os segmentos. O objetivo é sempre aumentar a produtividade e lucratividade em menos tempo, de forma a resultar em corte de gastos no processo. Em construção, por se tratar de uma atividade que envolve muitas variáveis, é imprescindível que haja um planejamento para essa redução, de forma a analisar os riscos e verificar a viabilidade.


Toda redução de custo em uma obra deve ser iniciada a partir de uma análise preliminar minuciosa. Nessa análise deve-se observar a necessidade de alocação de recursos para cada atividade e para cada etapa e, a partir daí, começar a desenvolver um planejamento acerca do estudo feito para otimização e redução de custos.

 

Uma boa alternativa para iniciar a análise é a utilização da curva ABC. Esse é um método bem conhecido em obras e que facilita e muito a visualização dos materiais que são usados no seu trabalho, bem como a avaliação dos processos mais dispendiosos, e assim ser possível definir com assertividade o que pode ser cortado ou não.

 

planilha custo de obra

Curva ABC: Materiais distribuídos  de forma decrescente com relação a importância e custo para uma determinada obra (curva ABC simplificada, apenas para exemplificação)

 

 

Um fator que pode auxiliar no corte de gastos é o investimento em sustentabilidade. Há diversas tecnologias que otimizam o uso da energia e da água que podem reduzir significativamente o valor da obra. Podemos citar como exemplo sensores de presença que acionam lâmpadas, torneiras e mecanismos que limitam a vazão da água, aparelhos de ar condicionado inteligentes e etc.

 

Falando ainda em alternativas sustentáveis, uma eficiente gestão de resíduos e entulhos também se mostra um bom caminho para reduzir custos.

 

Algumas boa práticas também devem ser atendidas para potencializar a redução de custo em um empreendimento. Vamos a elas:

 

  • Calcular a quantidade de material: realizar a medição prévia da quantidade de material que será utilizado na obra é fundamental. Sempre há a necessidade de se comprar algum excedente devido à perda e outros fatores, entretanto isso deve ser feito de forma consciente. Material de sobra não traz nenhum benefício para o resultado final da obra! É importantíssimo também que a compra de materiais esteja atrelada ao planejamento da obra para não gerar estoque desnecessário, diminuindo o espaço físico disponível na obra e também ficando sujeito à danos.

 

  • Garantir o melhor custo-benefício dos equipamentos: nesse caso é necessário um entendimento por completo de todos os custos envolvidos nos casos de compra ou locação e também de todas as atividades que serão destinadas ao equipamento. A escolha por comprar ou alugar passa, além do viés financeiro, pela disponibilidade de manutenção, estilo de contrato de locação, confiabilidade do locador, dentre outros. Com uma boa análise e, literalmente colocando as contas na ponta do lápis, é possível gerar expressivas reduções com o modelo escolhido.

 

  • Criar metas por etapas: estabelecer pequenas metas dentro de cada etapa de execução permite que você tenha mais controle sobre suas ações e dessa forma imprevistos acontecem com menos frequência. Menos imprevistos e erros significa menos perdas e retrabalhos e, consequentemente, redução de custos.

 

  • Reavalie os fornecedores e mantenha em constante negociação com eles: procure sempre reavaliar seus fornecedores, tanto na questão de qualidade do serviço ou material, quanto nos preços e condições de pagamento. Com negociações você pode conseguir preços e prazos de entrega melhores (que agilizarão sua obra e gerará uma redução de custo). Evite fornecedores que só se destacam pelo preço. Esse tipo de prática sempre se mostra como um mau negócio. É o famoso “barato que sai caro”.

 

Todos os modelos e práticas citados acima ajudam, desde sempre, gestores a obterem redução de custos em suas obras. São técnicas já conhecidas e consagradas que acompanham o gerenciamento de construções. Entretanto, com o exponencial avanço da tecnologia, novas soluções estão surgindo e as reduções de custo estão obtendo resultados ainda mais significativos.

 

Podemos começar citando a metodologia (ou o conceito) BIM. Tecnologia que se destaca na criação de modelos virtuais de edificação e que possibilita realizar simulações de qualquer construção em qualquer fase, sendo possível elaborar projeções e comparativos para otimizar a execução do empreendimento e gerar reduções de custos.

 

A utilização do BIM enxuga os antigos e pouco eficientes processos e torna muito mais ágil o compartilhamento de informações entre os agentes envolvidos na obra. Informações rápidas e precisas significa ganho de tempo, diminuição de erros e retrabalhos e, mais uma vez, reduções de custos. Veja um pouco mais sobre o que é o BIM.

bim_tecnologia

BIM: tecnologia que gera agilidade, colaboração e economia para as construções.

 

A automação de determinados serviços pode cortar alguns gastos para as construtoras também. A substituição da mão de obra humana por máquinas, além de se mostrar mais eficiente na esmagadora maioria das vezes, é também mais barata se analisada no médio longo prazo.

 

Por exemplo, softwares para gestão de obras que acumulam diversas importantes funções que seriam ocupadas por muitos colaboradores: mantém a organização do orçamento, controlam as horas trabalhadas, realizam o gerenciamento da cadeia de suprimentos e ainda avaliam resultados e acompanham os prazos da obra de forma eficiente.

 

A automação ainda contribui para uma maior eficiência do fluxo de informação entre os setores, podendo antecipar possíveis problemas, como por exemplo a compra de determinado material que em breve irá acabar, reduzindo o prazo de execução do projeto.

 

A utilização de materiais inovadores e que geram economia também devem ser lembrados. O concreto autocurável, por exemplo, é utilizado para preencher determinadas rachaduras de forma automática, reduzindo despesas com reparos.

 

O cimento biológico possui uma bactéria em sua composição que absorve o cálcio evitando rachaduras. Ainda podemos citar a utilização de painéis fotovoltaicos nas obras, que podem gerar energia para o próprio empreendimento e diminuir despesas com energia elétrica.

 

Por fim, a ferramenta que nos últimos anos se mostrou extremamente eficiente em todas as etapas das obras, gerando redução de custos, otimização de processos, melhorando a qualidade e agilidade dos serviços: o drone.

 

Drone

Drone: ferramenta com diversos usos em uma obra e que, se usado corretamente, gera expressivos resultados para os construtores

.

Os drones, como já falado acima, são versáteis e atendem todas as fases de uma obra: desde as avaliações iniciais de um terreno para prospecção até as últimas fases de marketing e vendas. A cada dia que passa eles vem se firmando como uma poderosíssima ferramenta de engenharia, e isso motivou várias gigantes do mundo dos softwares, como a Autodesk, a investirem em plataformas para processamento de dados aéreos.

 

A seguir serão apontadas algumas das reduções de custo que a utilização de drone em conjunto com um software de processamento de dados aéreos pode gerar de acordo com a fase da obra:

  1. Fase de prospecção de negócios
    • avaliação de um terreno inteiro sem a necessidade da contratação de uma equipe de topografia. A partir da avaliação pioneira do drone, já é possível levantar algumas informações que serão cruciais para a continuidade do projeto (ou não);
    • identificação de curvas de nível de maneira rápida, sem a necessidade de equipe de topografia para tal.
  2. Fase de projetos
    • cálculo preliminar de áreas e volumes a serem movidos pela terraplanagem, sem a necessidade de contratação específica de topografia para o serviço.
  3. Orçamento e planejamento
    • otimização do orçamento e planejamento. Com os precisos dados coletados, é possível planejar e orçar a obra de maneira mais detalhada, mitigando revisões e antecipando o prazo de execução da obra.
  4. Execução
    • comparação de projetado com o executado, afim apontar desvios com antecedência e corrigi-los a tempo para não atrasar a entrega da obra;
    • realização de grande parte do trabalho de topografia de maneira rápida e precisa a cada voo realizado.
  5. Marketing
    • com os voos realizados nas fases anteriores, já será possível ter acesso a belas imagens coletadas pelo drone sem a necessidade da contratação de um serviço exclusivo para marketing.

 

Você conhece algum método eficiente de redução de custos? Já utilizou algum método tecnológico para reduzir custos na sua obra? Deixe algum comentário ou pergunta abaixo.